O maior centro de competências de Public Relations

150 consultores, gestores e técnicos, a referência do mercado português da Comunicação

A LPM fundou, em Portugal, a categoria de Conselho em Comunicação. As suas atividades têm-se desenvolvido, desde 1986, sempre na liderança do mercado - fruto da inspiração de clientes sofisticados e exigentes. Para novos problemas criaram-se soluções inovadoras, descobriram-se canais, inventaram-se metodologias. O âmbito de intervenção foi sendo alargado a todas as disciplinas das Public Relations, num movimento que produziu escala e dimensão e atraíu os melhores quadros da nossa indústria. Venha conhecer THE HOUSE OF PR.

Aceleradores de Tendências

Próximos dos Clientes

Na nossa atividade, a dimensão é uma virtude. Trabalhamos diariamente e de forma continuada com quase duas centenas de projetos em valências como Conselho em Comunicação, Assessoria Mediática, Online Reputation Management, Comunicação de Crise, Storyselling, Conteúdos Vídeo, Comunicação Médica, Desenvolvimento Web, Shopper Marketing e Edições. A dimensão das nossas equipas permite-nos acumular e partilhar conhecimento. A circunstância de acompanharmos número tão elevado de clientes não nos impede de acompanhar cada um deles com a máxima atenção em resultado da metodologia que utilizamos, com equipas focadas, motivadas e disponíveis. Áreas onde a LPM mais se tem destacado no tempo recente:

30 Anos 30 Histórias

  • Beleza às escuras

    Um dia de filmagens com uma figura pública para uma marca de beleza. Luzes, câmara, ação e tocam à porta de um dos mais luxuosos apartamento que existem na capital. Era um funcionário da empresa fornecedora de energia elétrica que se preparava para cortar a eletricidade por falta de pagamento de faturas. O responsável pelo espaço onde nos encontrávamos, que tinha ido viver para o outro lado do mundo, esqueceu-se de pagar as faturas. Contactá-lo para proceder ao pagamento no imediato era missão quase impossível em fuso-horários completamente distintos. Restou-nos “implorar de joelhos” e contar com a simpatia do funcionário para que não nos deixasse às escuras. E funcionou! (e também sabemos que as faturas foram pagas)

  • A menina barbie está atrasada

    Exposição no Museu do Brinquedo, em Sintra, de bonecas Barbie vestidas por estilistas portugueses. O nosso cliente era a Mattel Portugal. Lançado o desafio aos estilistas, Ana Salazar, Anabela Baldaque, Augustus, Fátima Lopes, Katty Xiomara, José António Tenente, Nuno Gama, João Rolo, era necessário ir recolher as bonecas. Certo dia, lá vou eu até ao atelier do José António Tenente, no Bairro Alto, para ir buscar a boneca com o seu modelito. Assim que entro e me identifico, um dos assistentes do Tenente diz-me - “A menina Barbie está muito atrasada. Ainda está na Lúcia Piloto a terminar o penteado. Vai ter de esperar.”

  • Males que vêm por bem

    Certo dia recebi uma chamada: "Precisamos da tua ajuda! Podes ir à Alemanha acompanhar dois jornalistas a um evento de música eletrónica patrocinado por um cliente da LPM?"
    Como negar um desafio destes?
    5h30 da manhã e lá estava eu, no aeroporto de Lisboa, à espera dos jornalistas. Partimos rumo a Londres, onde iríamos apanhar um voo privado, com direito a DJ, paragem rápida em Hamburgo e com Frankfurt como destino final. Correu tudo sobre rodas durante os 3 dias que ficámos na Alemanha, tudo a um ritmo bem intenso mas, também, bem divertido.
    A verdadeira história começa na viagem de regresso: o plano era apanhar um voo até Londres – como as reservas tinham sido feitas em separado, teríamos que apanhar as bagagens, correr para outro terminal e apanhar outro voo em direção a Lisboa. Tudo em menos de 2 horas! Pois que o primeiro voo sofre um atraso de 40 minutos. Um grupo de 7 pessoas corre velozmente pelo aeroporto de Heathrow na esperança (vã) de conseguir apanhar o voo. Resultado: um nariz na porta e uma noite em Londres! Uma correria que acabou por correr bem, pois passámos uma bela noite num belo hotel e com um grupo bem divertido.

  • Há crioulo no Google translate?

    Um dos projetos mais interessantes em que estive envolvido na LPM terá sido, certamente, aquele que me coloca na equipa de trabalho para uma candidatura na Campanha à Presidência da República de Cabo Verde em 2006.

    O meu papel restringia-se mais à produção de conteúdos para a campanha. Retirava um gozo especial da elaboração dos guiões para os tempos de antena.

    Estava bem documentado e cabia-me replicar os vários temas, definidos como prioritários pela entourage da candidatura com base na pesquisa disponível.

    Parte do produto final era apresentado em crioulo. Ora, eu não percebia, nem percebo, nada de crioulo.

    Também não podia contar com as ferramentas online que hoje nos auxiliam em alguma tradução mais complicada.

    O Google Translator (ainda) não assume a língua crioula de Cabo Verde. E foi assim que nunca compreendi inteiramente se aquilo que tinha escrito nos guiões dos tempos de antena foi, efetivamente, dito.