O maior centro de competências de Public Relations

150 consultores, gestores e técnicos, a referência do mercado português da Comunicação

A LPM fundou, em Portugal, a categoria de Conselho em Comunicação. As suas atividades têm-se desenvolvido, desde 1986, sempre na liderança do mercado - fruto da inspiração de clientes sofisticados e exigentes. Para novos problemas criaram-se soluções inovadoras, descobriram-se canais, inventaram-se metodologias. O âmbito de intervenção foi sendo alargado a todas as disciplinas das Public Relations, num movimento que produziu escala e dimensão e atraíu os melhores quadros da nossa indústria. Venha conhecer THE HOUSE OF PR.

Aceleradores de Tendências

Próximos dos Clientes

Na nossa atividade, a dimensão é uma virtude. Trabalhamos diariamente e de forma continuada com quase duas centenas de projetos em valências como Conselho em Comunicação, Assessoria Mediática, Online Reputation Management, Comunicação de Crise, Storyselling, Conteúdos Vídeo, Comunicação Médica, Desenvolvimento Web, Shopper Marketing e Edições. A dimensão das nossas equipas permite-nos acumular e partilhar conhecimento. A circunstância de acompanharmos número tão elevado de clientes não nos impede de acompanhar cada um deles com a máxima atenção em resultado da metodologia que utilizamos, com equipas focadas, motivadas e disponíveis. Áreas onde a LPM mais se tem destacado no tempo recente:

30 Anos 30 Histórias

  • Tens de ir para a Madeira resolver uma crise. Hoje.

    20 de fevereiro de 2010. A Madeira é afetada por uma chuvada sem precedentes, que deixa um rasto de destruição um pouco por toda a ilha. Um cliente, ligado à gestão de centros comerciais liga e pede ajuda: “precisamos de vocês aqui”. Era o início de uma semana de trabalho diferente, onde a gestão de crise passou do papel à ação. O balanço não podia ser mais positivo: cliente satisfeito, reputação intacta, relação de confiança reforçada. E uma experiência que marcaria os passos seguintes do meu percurso profissional.

  • Fugir de um petardo

    Em 2013, e para monitorizar uma situação específica de um cliente, participei, como observadora, numa manifestação em frente à Assembleia da República. Fingindo estar de passagem, observava as movimentações de dentro da Papelaria Fernandes. A manifestação arrancou e eu fui, até ao local de chegada. Posicionei-me perto dos carros de exteriores das televisões até porque conhecia a equipa da SIC. A rua estava cheia, o barulho ensurdecedor, os cânticos e slogans contra o governo eram ofensivos e agressivos, o ambiente era pesado. De repente ouve-se um petardo. Dei um salto e, sinceramente tive medo… bastante. O técnico da SIC que estava na carrinha disse-me para entrar… não entrei ao primeiro mas ao quarto petardo estava era mesmo dentro do carro de exteriores.

  • O batizado do príncipe

    Um dos projetos em que mais gostei de participar foi o batizado de S.A.R., o Príncipe da Beira, Dom Afonso de Santa Maria. Aconteceu no dia 1 de Junho de 1996, em Braga, tinha eu os meus 30 e poucos anos. Não sei explicar o porquê, mas julgo que todo o peso histórico do apelido de família, o facto de dar início a uma nova geração de infantes da Casa de Bragança, ou porque gosto de contos sobre a realeza, posso dizer que foi um dos trabalhos que destaco destes meus 26 anos na LPM…

    Desde a promoção e acompanhamento de entrevistas, sessões fotográficas, acreditação de jornalistas nacionais e internacionais, organização do gabinete de imprensa e acompanhamento da cerimónia, este foi um período que vivi intensamente e que me deixou com a sensação de missão cumprida!

  • Em pulgas para te conhecer

    Começou por ser uma proposta para uma coleira anti-pulgas. Mas como não podemos comunicar produto, a proposta não podia ser para uma coleira anti-pulgas. Tínhamos cães e gatos como gancho. Tínhamos as férias de verão à porta. Tínhamos números assustadores de animais abandonados. Apostámos numa campanha de adoção. Apostamos em sete associações de proteção animal e fomos à procura de dono. “Em pulgas para te conhecer”. Este foi o mote de uma ação que começou sem megafones, mas que foi ganhando expressão. Levámos sacos a todo o lado. Andámos de mão dada com uma bloguer que se “esgatanhou” para cativar seguidores a adotar. Levámos veterinários à televisão. Levámos a televisão aos canis.

    No final da campanha sabíamos que tínhamos salvo alguns destes bichos. Só não tínhamos consciência de que foram mais de 200 a conseguir um lar e um final feliz.