O maior centro de competências de Public Relations

150 consultores, gestores e técnicos, a referência do mercado português da Comunicação

A LPM fundou, em Portugal, a categoria de Conselho em Comunicação. As suas atividades têm-se desenvolvido, desde 1986, sempre na liderança do mercado - fruto da inspiração de clientes sofisticados e exigentes. Para novos problemas criaram-se soluções inovadoras, descobriram-se canais, inventaram-se metodologias. O âmbito de intervenção foi sendo alargado a todas as disciplinas das Public Relations, num movimento que produziu escala e dimensão e atraíu os melhores quadros da nossa indústria. Venha conhecer THE HOUSE OF PR.

Aceleradores de Tendências

Próximos dos Clientes

Na nossa atividade, a dimensão é uma virtude. Trabalhamos diariamente e de forma continuada com quase duas centenas de projetos em valências como Conselho em Comunicação, Assessoria Mediática, Online Reputation Management, Comunicação de Crise, Storyselling, Conteúdos Vídeo, Comunicação Médica, Desenvolvimento Web, Shopper Marketing e Edições. A dimensão das nossas equipas permite-nos acumular e partilhar conhecimento. A circunstância de acompanharmos número tão elevado de clientes não nos impede de acompanhar cada um deles com a máxima atenção em resultado da metodologia que utilizamos, com equipas focadas, motivadas e disponíveis. Áreas onde a LPM mais se tem destacado no tempo recente:

30 Anos 30 Histórias

  • Fugir de um petardo

    Em 2013, e para monitorizar uma situação específica de um cliente, participei, como observadora, numa manifestação em frente à Assembleia da República. Fingindo estar de passagem, observava as movimentações de dentro da Papelaria Fernandes. A manifestação arrancou e eu fui, até ao local de chegada. Posicionei-me perto dos carros de exteriores das televisões até porque conhecia a equipa da SIC. A rua estava cheia, o barulho ensurdecedor, os cânticos e slogans contra o governo eram ofensivos e agressivos, o ambiente era pesado. De repente ouve-se um petardo. Dei um salto e, sinceramente tive medo… bastante. O técnico da SIC que estava na carrinha disse-me para entrar… não entrei ao primeiro mas ao quarto petardo estava era mesmo dentro do carro de exteriores.

  • Cadê a mala?

    Viagem em trabalho. Destino: Gaia. Acompanhamento do Festival Marés Vivas. Computador: checked; carteira: checked; mala de viagem com-toda-a-roupa-e-artigos-pessoais: not checked! Qual é o problema, quando são apenas 4 noites longe de casa?

  • Qual é a bebida?

    Não me esqueço dos três dias que fui trabalhar num restaurante McDonald’s, porque a marca assim o exige para todas as pessoas que trabalham com eles. O objetivo é trabalharmos no restaurante, passarmos por todos os postos, desde o grelhador até às batatas, somos tratados como qualquer funcionário nos seus primeiros dias, e os meus novos colegas pensavam mesmo que eu ia ficar ali no restaurante. Fui destacada para o McDonald’s BP Padre Cruz. Como não tenho carro, fui os três dias de táxi para o restaurante e, mais tarde, apercebi-me de que já era conhecida no restaurante como “a menina do táxi”. Passei a maior parte do tempo na zona das batatas. Nas horas de ponta os meus colegas estavam sempre a dizer-me que tinha de ser mais rápida mas alguns ainda me diziam que nos primeiros dias era normal e que podia vir a melhorar. Eles não sabiam mesmo que estava ali de passagem…

  • Queijo

    17 de janeiro de 2012, IV congresso da APED. Eu fazia parta da equipa de produção destacada para acompanhar o evento. E o que de melhor pode acontecer a uma pessoa que não gosta de queijo, e não suporta o cheiro de queijo, do que estar a trabalhar noite dentro, numa sala do Museu do Oriente, que está cheia de queijos? A isso chama-se espírito de equipa e amor à camisola!