O maior centro de competências de Public Relations

150 consultores, gestores e técnicos, a referência do mercado português da Comunicação

A LPM fundou, em Portugal, a categoria de Conselho em Comunicação. As suas atividades têm-se desenvolvido, desde 1986, sempre na liderança do mercado - fruto da inspiração de clientes sofisticados e exigentes. Para novos problemas criaram-se soluções inovadoras, descobriram-se canais, inventaram-se metodologias. O âmbito de intervenção foi sendo alargado a todas as disciplinas das Public Relations, num movimento que produziu escala e dimensão e atraíu os melhores quadros da nossa indústria. Venha conhecer THE HOUSE OF PR.

Aceleradores de Tendências

Próximos dos Clientes

Na nossa atividade, a dimensão é uma virtude. Trabalhamos diariamente e de forma continuada com quase duas centenas de projetos em valências como Conselho em Comunicação, Assessoria Mediática, Online Reputation Management, Comunicação de Crise, Storyselling, Conteúdos Vídeo, Comunicação Médica, Desenvolvimento Web, Shopper Marketing e Edições. A dimensão das nossas equipas permite-nos acumular e partilhar conhecimento. A circunstância de acompanharmos número tão elevado de clientes não nos impede de acompanhar cada um deles com a máxima atenção em resultado da metodologia que utilizamos, com equipas focadas, motivadas e disponíveis. Áreas onde a LPM mais se tem destacado no tempo recente:

30 Anos 30 Histórias

  • Como assim em cima de um carro?

    Monsaraz, Alentejo. Lançamento de projetos Turísticos de Excelência. Brief recebido três dias antes da sessão. Montagem de tenda para sessão com o Primeiro-Ministro (150 pax). Visita técnica prévia e definição de todos os pormenores. A equipa da LPM chega ao local e recebo uma chamada: “Graça, não sabemos o que fazer, os senhores da tenda montaram a estrutura da tenda por cima de um carro. Não encontraram o proprietário.” Resultado: desmontaram a estrutura, os bombeiros tiraram o carro e, claro, a tenda lá se montou novamente…

  • Ir a uma reunião com o boss

    Nos meus primeiros três dias na LPM fui logo presenteada com uma apresentação a um cliente, com o Luís Paixão Martins. Reforço: com o Luís Paixão Martins. A bitola não podia estar mais alta. Como iria correr? Não nos conhecíamos. Não fazia a mínima ideia de como era o Luís Paixão Martins nas reuniões, pois era a primeira vez que iriamos estar juntos. Iríamos estar em sintonia? Iria correr bem? Resultado: Não podia ter corrido melhor. Sem termos falado antes, fizemos a apresentação em conjunto, como se trabalhássemos há anos. Nos timings certos, ora falava um, ora falava o outro. O cliente adorou a proposta e eu saí da reunião com menos 100kg nas costas e um orgulho imenso por fazer parte da equipa LPM.

  • A carrinha do leite

    Em pleno agosto, acompanhei um projeto de um cliente e as idas à vila de Sintra tornaram-se uma constante. Um dia uma das reportagens foi agendada da manhã para a tarde, e eu lá consegui organizar-me e levar o único carro disponível para ir num “instantinho” a Sintra. As minhas colegas “de ilha” brincaram comigo, a dizer que eu ia na apelidada “Carrinha do Leite”. Eu, sem saber o que isso era, lá fui até à garagem. Peguei na carrinha branca e lá fui feliz da vida. O pior começa quando chego a Sintra e percebo que lugares de estacionamento para esta carrinha são inexistentes, mas depois de muito suor e lágrimas lá a estacionei (não muito bem!). Quando a reportagem acabou apercebi-me de um certo alvoroço na zona e percebi que o BUS turístico não conseguia passar… E de quem era a culpa? Pois…”Minha” e da “Carrinha do Leite”. Levei uma reprimenda do Sr. Agente de Autoridade. Depois de toda a azáfama cheguei à LPM e jurei para mim mesma: Carrinha do Leite, nunca mais!

  • Uma enferma

    Tive um momento bastante insólito no decorrer do meu percurso na LPM. Aconteceu numa altura em que tinha reuniões com um cliente cujo ar condicionado da sala me fazia espirrar frequentemente. Ao fim da 5.ª reunião, o cliente disse-me que eu estava sempre doente (raramente estou). Na semana seguinte apareci com o braço ao peito.