O maior centro de competências de Public Relations

150 consultores, gestores e técnicos, a referência do mercado português da Comunicação

A LPM fundou, em Portugal, a categoria de Conselho em Comunicação. As suas atividades têm-se desenvolvido, desde 1986, sempre na liderança do mercado - fruto da inspiração de clientes sofisticados e exigentes. Para novos problemas criaram-se soluções inovadoras, descobriram-se canais, inventaram-se metodologias. O âmbito de intervenção foi sendo alargado a todas as disciplinas das Public Relations, num movimento que produziu escala e dimensão e atraíu os melhores quadros da nossa indústria. Venha conhecer THE HOUSE OF PR.

Aceleradores de Tendências

Próximos dos Clientes

Na nossa atividade, a dimensão é uma virtude. Trabalhamos diariamente e de forma continuada com quase duas centenas de projetos em valências como Conselho em Comunicação, Assessoria Mediática, Online Reputation Management, Comunicação de Crise, Storyselling, Conteúdos Vídeo, Comunicação Médica, Desenvolvimento Web, Shopper Marketing e Edições. A dimensão das nossas equipas permite-nos acumular e partilhar conhecimento. A circunstância de acompanharmos número tão elevado de clientes não nos impede de acompanhar cada um deles com a máxima atenção em resultado da metodologia que utilizamos, com equipas focadas, motivadas e disponíveis. Áreas onde a LPM mais se tem destacado no tempo recente:

30 Anos 30 Histórias

  • Uma aventura no Panamá

    Quando eu e a Carla Bulhões fomos ao Panamá, em 2014, tivemos de realizar um voo interno até Bocas del Toro. A viagem, de cerca de hora e meia, num pequeno avião, cheio de gente, deixou a Carla Bulhões cheia de picadas dos ácaros. Quando o avião aterrou, apressámo-nos a querer sair, virámo-nos uma para a outra e dissemos “desta já nos safámos!”. Quando íamos a descer as escadas e já quase a pôr o pé em terra, a hospedeira perguntou-nos onde íamos: “Para Bocas del Toro”, respondemos. Rapidamente percebemos que ainda faltavam mais duas paragens! Estávamos numa terra perto da Costa Rica e o avião ainda ia fazer mais duas escalas até chegarmos ao destino que queríamos. Não só era parecido com um autocarro como funcionava como um! Com a diferença de que ninguém nos tinha dito que o voo não era direto, e por pouco não ficávamos em terra de ninguém.

  • Eu só vinha para um estágio

    Dia 1 de abril e não era mentira. Dirigi-me ao 4.º andar do n.º 30, na Avenida João Crisóstomo (sim, a LPM ficava em pleno Saldanha nesse tempo). Ao transpor a porta da LPM dei início a um percurso profissional, com um estágio, na empresa à qual, orgulhosamente, ainda hoje pertenço. Já lá vai uma década. Aprendi e cresci como pessoa e profissional. Continuo a crescer e aprender, todos os dias. Nessa altura seríamos uma vintena de colegas, hoje ultrapassamos a centena. Mas o “ADN” da LPM mantém-se o mesmo: experiência, competência e influência.

  • Ouvir pela primeira vez

    Um dos momentos mais marcantes desde que entrei na LPM foi o dia em que acompanhei uma reportagem da TVI num Hospital, na qual assisti à primeira vez que uma criança de sete meses ouviu a voz da mãe. O bebé nasceu com surdez profunda bilateral e o Hospital realizou a primeira cirurgia de implante coclear bilateral simultâneo. Todos na sala ficaram com lágrimas nos olhos.

  • O carro do boss pifou

    Em 1997, fui a uma reunião na Figueira da Foz com o Luís Paixão Martins, depois de tudo ouvido e após um belo almoço regressámos a Lisboa. Tudo corria bem, apanhámos a A1 em Leiria e contávamos estar em Lisboa, Areeiro, onde era a LPM, cedo; mas de repente o Mercedes começa a falhar e acaba por parar. Lá veio um reboque que nos levou até Porto de Mós onde o carro ficaria em reparação e nós acabámos por chegar a Lisboa pelas 22h00. O carro seria reparado mas pouco tempo depois foi substituído por um outro…